PEIXINHO

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

SOU...


CUMPLICIDADE...


QUAL MULHER NÃO QUER?


VOU...


EMERGI...


SILENCIO...


DESEJO...


MINHA LUA BAIANA



É lua sensual  no encanto do mar
De silhueta mulher
De gingado gostoso
É lua faceira que fala de amar...

É lua saliente que brinca na agua
Tao faceira como menina
Dança e rodopia a noite alucina...

É lua travessa é lua de mel
No dia se esconde
A noite aparece feito serelepe
Brinca de rodas e de carrossel...

Cercada de nuvens
Brincando de roda
Minha lua baiana
Que nas aguas brinca de ciranda...

Minha lua feiticeira
Lua menina ou lua mulher
Lua apaixonante
Lua dos amantes...

Irá Rodrigues-20/09/2013

NOITE DE LUA CHEIA...


CORES DE ALFAZEMA...


SINTO...


 Meu corpo
Em ebulição
Taquicardia
Acelera o coração...
No aroma do teu corpo
Tentação indecente
Palavras eróticas
Sussurros no ouvido
Loucuras vividas
Em sonho adormecido...

DECIDI....


Abri a gaiola do meu ser
Cortei as amarras
Quero vida escancarada
Ser a lua enamorada...
Ser eu ser liberdade
Levitar ao som de uma melodia
Esquecer os momentos
Viver plenamente
 Meus sentimentos...


Irá Rodrigues-30/09/2013

sábado, 28 de setembro de 2013

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

AMOR BOM É ASSIM...



Em pleno dia
Vira luz de estrelas
São lágrimas de chuva
Alaga o coração
É desejo de brisa
Virando canção...


De Irá Rodrigues-26/09/2013

terça-feira, 24 de setembro de 2013

DESPERTEI...

Despertei
Num dia qualquer
Num momento sem fim
No espelho imagem distorcida
De uma vida esquecida...

No olhar o brilho de menina
Na inocência ou fantasia
Nos desejos de mulher
Apenas nostalgia...


De Irá Rodrigues-24/09/2013

domingo, 22 de setembro de 2013

MEU REINO DOS BRIGADEIROS




Construí uma casinha
Toda feita de maldades
Ali deixei bem trancado
Delicias de chocolates...

Era uma loucura boa
Tudo feito se espalhavam
Depois começava juntar
Era só no granulado passar...

E naquela bagunça toda
Até a mesa se mexeu
Os gostosos brigadeiros
Na forminha se meteu...

E logo a porta se abriu
O cheiro se espalhou
A garotada apareceu...

E num piscar de olhos
Nem se quer esfriou
E de dois em dois
A molecada devorou...

E eu não sou boba nem nada
Na folia logo cai
Fui arteira virei criança
Coisa boa essa comilança...




MENINO DE RUA




Tenta mudar a vida
Entre faróis ele vaga
Nas noites frias malvadas
Sem identidade sem nome
Verde e fraco de fome...
Um novo dia o sol desponta
Lá está o menino
Sujo faminto parado
Já não suporta mais ser humilhado...
Na ânsia  do desespero
Cara suja  assustado
Ninguém lhe dava um tostão
Com ódio daquela gente
Rouba num carro um presente...
O coração saltitante
Abraça o embrulho
Corre assustado
Buzina estridente
Só ouve a gritaria
-pega é ladrão – pivete!...
No esconderijo do esgoto
Senta sem força
A fome dominando
Abre o pacote se assusta
Só tinha doces e fruta...



SINAL FECHADO...



Humilde pede um trocado
Sempre não
Vidro fechado
Olhar desconfiado...
Menino vadio
Sem casa
Sem comida
Dorme no chão
No meio da multidão...
Tanta gente
Ninguém lhe estende a mão
Nem um trocado
Nem um pão...
Seu nome é José
Mas pivete é chamado
Vive atoa tapeando a fome
Com restos de lixo
Imagina se deliciando
Com pastel coca cola
Sanduiche de mortadela
Bolo de chocolate
Até hambúrguer
Ele finge que é...
E assim vive pivete
Sua realidade
Fuga
Necessidade
Incompreensão
Só quero um pedaço de pão...
Menino sem culpa
Sem oportunidade
Solidão
Marginalização
Grito na noite
Só acusação...
Sociedade
Hipocrisia
Vergonha
É minha nação
Sou apenas um garoto
Que ninguém estende a mão...



POBRE ANIMAL...




No meio do transito vai ele passando
Triste cabisbaixo
Carroça pesada
E ainda vai ele levando pancada...

 Num trote rasteiro
O corpo velho não aguenta
Ninguém nota a estupidez
Que aquele infeliz enfrenta...

Cansado ele empaca
Nem uma passada a frente
Manso ele vai levando
O que vão colocando...

O burro com certeza
Muito mais inteligente
Que o homem que sem noção
Chama-lhe de burro demente...


Esse pobre animal
Pode até não ter pensamento
Mas é nobre em sentimento
Muito mais do que aquele
Que lhe chama de jumento...

COISA BOA...


LÁGRIMAS...


Alaga os olhos
Transborda a alma
Pássaros não cantam
A vida fica fria
Perco o sono
Viro na cama
Esqueço a hora
Olho a lua
Que chora...
No meu quarto
Tranco-me
Calo-me...
As cores perdem a vida
São opacas
É soluço
É pranto
Lagrimas
Viram espanto
Sou eu aqui
No meu canto...
Só...

Irá Rodrigures-22/09/2013


sábado, 21 de setembro de 2013

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

MULHER...


É OUTONO...



 Árvores ficam calorentas
Aos poucos se despem
Seus troncos ficam sem roupa
Mas nada empobrecem...

Outono
É chão de tapete
São folhas caídas
São flores adormecidas...

Manhãs frias
Vento que sopra
Faz a natureza dormir
Para em breve se vestir...


De Irá Rodrigues

QUERIA...




Ter a magia da lua
Ter o brilho do sol
A força da tempestade
Ser o amor
E nunca a crueldade...
Queria
Ser o passado
O futuro e o presente
Ser tua verdade
Esquecer a maldade...
Queria
Ser a lagrima
Que te faz chorar
Para em tua face me alojar...
Queria
Ser à noite
O dia e a madrugada
Ser a paixão
A tua namorada...
Queria
Ser o mar ou ser o rio
Ou quem sabe
Uma simples gota
Que escorre do teu corpo...
Queria
Ser a imagem refletida no espelho
Enxergar o fundo da tua alma
Desvendar teus mistérios
Ser teus desejos...

Irá Rodrigues-18/09/2013


Copyright: proibir a cópia, reprodução, distribuição, exibição, criação de obras derivadas e uso comercial sem a sua prévia permissão. ( autoria Irá Rodrigues-)

terça-feira, 17 de setembro de 2013

SER LIVRE...



É nunca ser proibida
Correr feito criança
Tomar banho de cachoeira
Sentir a água gelada
Caindo feito cascata
Na pele arrepiada...
E nesse mundo de sonhos
Deixar a vida seguir
Sem medo
Sem teto
Sem tédio
Sair descobrindo
Ser descoberta
Buscar sempre a felicidade
Doar-se por inteira

Ser e ser verdadeira...

VEM COMIGO...



Sentar na grama
Admirar esse lindo por do sol
Na sutileza do entardecer
Penetrando nas profundezas do mar
Esbanjando o azul tranquilo das águas...
Vem comigo
Vamos namorar
Fazer poesia cantar
Ultrapassar os limites
Juntos desabrochar...
E  nesse desabrochar
Despir-nos do tempo
Apagar as lembranças
Desembrulhar-nos ao vento...
Abraçar o mundo
Numa gota do oceano
E na palma da mão
Reter o céu...
Pegar carona no vento
Resgatar a nossa paixão
Esquecida nessa imensidão...

De Irá Rodrigues-17/09/2013



sábado, 14 de setembro de 2013

DESEJO...




Mãos que se tocam
Arrepio no corpo
Em gemidos se perde
Fervorosa paixão
É êxtase
Mais que sedução...
É desejo
É ânsia pelos teus beijos...
Que se nega
Recua-se
Some na noite
Aparece no dia
Em pura covardia...


Copyright: proibir a cópia, reprodução, distribuição, exibição, criação de obras derivadas e uso comercial sem a sua prévia permissão. ( autoria Irá Rodrigues-08/08/2013)

OVER DOSE...


sexta-feira, 13 de setembro de 2013

EXPLICAÇÃO...



Tentei explicar por mil maneiras
Fui capaz de libertar meus anseios
Na existência dos meus medos
Fui paixão fui desejos...

Na certeza do meu ser
Sinto a alma sufocada
Vi como uma onda se desfaz
Fui ao mar resgatei minha paz...

Num olhar tímido meu encanto
No embaraço das ondas despertei
Na alma doce num desejo constante
Derramei as lagrimas fui uma deusa errante...

Fui esquecida nessa vida do tempo
No deslize suave do mar despertei
Na voz que soa do infinito do meu eu
Dancei nas ondas encantei...

Que explicação terá ?...


Código do texto: T4280198
Classificação de conteúdo: seguro

MULHER...



Ser jardim
Sorriso de jasmim
Encanto da vida
Desejos de mim...
Ser violão
Ser canção
Inebria a vida
Invade o coração...
Ser mar
Ser ondas incendeia
Sonhar delirar
Ser musa ou sereia...
Ser noite
Canto de luar
Correr na rua

Mulher toda nua...





NO MAR DESPERTEI...




A brisa me beijou
O canto de gaivotas
Sua melodia encantou...

E logo ressurge a poesia
Sob o fluxo do mar profundo
Espalhando palavras no ar
Perdi meus versos no mundo...

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

QUEM SABE...



Ainda sou uma garotinha
Saindo da escola
Sem maldade
Sem vaidade...

Quem sabe
Sou uma pecadora
Com gestos inocentes
Assim como tanta gente...

Quem sabe... 

DESEJO...



Palavras felizes
Um sorriso nos lábios
Saindo do  coração
Descrito numa canção...

Sorria
Pois a poesia
Foi escrita
Pensando em você
Que sabe sorrir...

E com  chuvas de sorrisos
 Deixo o meu mais belo

Boa noite! 

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

VENTO...


BEIJAR...


VAZIO...


HOJE...



Colhi retalhos das sombras
Nas flores escrevi meus versos
Soltei pedaços no vento
Ali me esqueci do tempo...

 Gritei em silencio
Ouvi teus desejos
Gravados em pensamentos
Sonhei com teus beijos...

Esqueci as horas
Fui devaneio
Querendo-te como louca
Imaginando tua boca...

Queria-te de todo jeito
Adormecer em teu peito...



MINHA POESIA




A poesia é fim de tarde
É sol se pondo
É aconchego da alma
Encanta acalma...

A poesia é manha
É brisa suave
É vento que vem do mar
É gostinho de amar...

A poesia é mundo
É céu estrelado
É luz de luar
É jeitinho de sonhar...

 A poesia é livre
É pássaro sabe voar
É brisa que se esvai
Vira canção atrai...

A poesia sou eu
Canto encanto
Faço rimas ao luar
Recito meu riso
No sabor de amar...


terça-feira, 10 de setembro de 2013

BEIJAR...


O BEIJO BEM BEIJADO...





Encosta enrosca
Arrepia contagia
Acelere o coração
Não precisa explicação...
Beijo bom
É sussurro no ouvido
Colado molhadinho
Estremece incendeia...
Beijo de pegada
Ousado inesperado
Sentidos explosivos
De desejos contidos...
Beijo bom
Tem sabor de verão
Gostinho de inverno
É paixão
No fim vira canção...
É fogo que invade
Em atrito fogoso
É loucura fugaz

É delírio é gozo...

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

BEIJO BOM



Bem beijado feito beijo de passarinho
Encosta enrosca arrepia o corpo
Vem de mansinho acelera o coração
É pratico nem precisa explicação...

Beijo bom
Começa daquele jeitinho
Mordiscando a orelha com sussurros
Vai acelerando desce no pescoço chega à boca
Invade arrebenta te deixa louca...

Beijo bom

Começa de mansinho molhadinho
Apetece vem uma avalanche de sentimentos
Mistura de reações acontece
Incendeia explode estremece...

Beijo bom de pegadas todo ousado
Vira arte é dança é canção
Bagunça os sentidos
Beijo explosivo sem limites contidos...



Ah! Um beijo bom sabor de tentação
Sabor de tesão gostinho de verão
Mesmo em tenro inverno
Esquenta acelera o coração...

Beijo bom

Não tem explicação...

domingo, 8 de setembro de 2013

DOMINGO





Quem não gosta
De colher flores
Curtir um lugar assim
Com esbanjar de cores...

Um frio sem vento
Deixar passar o dia
Esquecer o tempo...

Ver o dia nascer pequenino
Aqui esse gigante
Esplendido céu azul
Pássaros cantantes...

Nuvens esbranquiçadas
Acordam dos seus ninhos
Feito filhotes de passarinhos...

Esse misturar de encantos
Águas paradas
Flores que se destacam
Com o verde das matas...



Copyright: proibir a cópia, reprodução, distribuição, exibição, criação de obras derivadas e uso comercial sem a sua prévia permissão. ( autoria Irá Rodrigues-08/08/2013)