PEIXINHO

segunda-feira, 18 de março de 2013

PAI...



Sabe pai
Difícil reviver a tua partida
A saudade bate forte vontade de um abraço
Aquele abraço que não posso ter
O carinho que não posso receber...
O sorriso brota mesmo triste
Momentos inesquecíveis
Não tenho explicação
Só queria agora o teu abração...
Pai
Quantas lembranças saudosas
Os risos compartilhados
Até das minhas peraltices
As tuas broncas eu chorava
Tu rias nem ligava...
Pai
Rabiscando esse poema meio sem rima
Choro as lágrimas de saudades
Do quanto foi pai e mãe enfrentado agonias
Mas tu estavas ali nos abraçando todos os dias...
Sabe pai
Tem momentos na vida
Que apenas um pouco satisfaz
Sonhar contigo ver teu sorriso
Ouvir dizer bem baixinho
Um dia princesas te levam ao paraíso...
Eu ria toda feliz fingindo ser princesa
Quantas vezes quero voltar a ser criança
Sentar em teu colo
E ter de novo o teu abraço
Reviver um segundo essa esperança...
De Irá Rodrigues
Saudades de te pai...