PEIXINHO

sábado, 15 de dezembro de 2012

ONDAS FLUTUANTES





Desnuda-me assim
Como ondas impulsivas
Num vai e vem constante
Amante carente compassiva...
Repousa-te em meu seio
Como a noite que cai
Num deslumbrante entardecer
E o sol se esvai...
Flutua comigo
Feito águas de mar
Quando o desejo me der
Essa vontade de te amar...
Deixa-me ser assim
Amante determinada
Compreensiva ao entardecer
Selvagem na madrugada...
E mesmo que reste apenas
Eu, você e o mar.
Numa loucura inconsequente
Faremos da areia
Nosso leito incandescente...
E sem rótulo sem código
Nossos corpos flutuantes
Em delírios e magia
É mar é nossa poesia...




Está licenciado sob licença creative
Commons , código de texto- T403725
Classificado como conteúdo restrito
Proibido o uso indevido por parte de terceiros..