PEIXINHO

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

QUEM SABE

 
Chamou-me de borboleta
Que hora vem  hora vai
Quem sabe não sou
Uma bem colorida
Que voa de flor em flor
Levando a pureza
De um amor...

Quem sabe não sou
Uma libélula
Que voa no silencio
Pousa numa flor orvalhada
Despertando a madrugada...

Ou quem sabe não sou
Uma borboleta solitária
De asas cotadas...
Talvez
Uma mariposa perdida
Sega pela luz da lua
Entrando na hora certa
Ao ver a porta aberta...

Ou quem sabe
Uma borboleta que dança
Nos bailados da vida
Esquece o tempo

Perde-se no vento...