PEIXINHO

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Sou assim mesmo



Sou assim mesmo

Mulher explosiva tempestade de mar
Aguas correntes de rio sem fim
Lago fechado dentro de mim...

Da chuva que cai sou lágrimas
Se for noite sou o clarão da lua
Sou o brilho do sorriso que brota da tua boca
Sou mulher de alma toda nua...

 Se for dia sou o sol sou teu calor
Sou até esse bronze do teu corpo
Sou o mistério que vem do  oceano
Sou mulher nunca o engano...

Se quiseres saber de onde venho
Talvez da magia do mar
Ou das ondas que deslizam lentamente
Morrendo na areia sem pressa de voltar...

De Irá Rodrigues
Código de texto-548209