PEIXINHO

terça-feira, 21 de maio de 2013

SE PUDESSE






Faria voltar ao passado
Não acreditaria em pessoas
Que se mostram doce como o mel
No final amarga como fel...
Se pudesse
Acordava de vez
Desse pesadelo horrível
Que me puseram acorrentada
Deixando-me desencantada...
Onde foram os meus sonhos?

Que se perde a cada amanhecer
Nessa incerteza maldita
Esperando que ele volte sonhar
E possa assim realizar...

Poder sair desse pesadelo doido
De sonhos iludidos
Despertar de vez
Para uma nova vida...
Queria ter forças
Poder parar o tempo
Secar minhas lagrimas
Que se perdem ao vento...
E quem sabe um dia
Voltar a acreditar
Em falsas promessas
De sonhos a se realizar...
Espero em Deus
Que ele possa tocar
Em corações injustos
Que o amor invada
E saiba valorizar
O respeito
A justiça
A lealdade
Sem suprir tantas maldades...
Quem sabe amanhã
Eu possa acordar serena
Como as aguas do mar
Ou explodir tudo dentro de mim
Essa angustia que me deixa assim...
Amanha
O que será?