PEIXINHO

terça-feira, 2 de julho de 2013

AMOR DE CASAL






Certa noite quando de volta para casa depois de um dia de trabalho, Ryan liga o aparelho de som e coloca uma musica romântica, enquanto degusta um vinho geladinho os dois preparam o jantar, os dois felizes como sempre  ora e outra paravam para saciar os desejos incontroláveis da esposa o qual mesmo apaixonado não entendia todo aquele fogo sexual que a esposa sentia...
--acredito que nosso casamento dura tanto tempo porque dividimos uma grande paixão disse Maria abraçando-o por trás.
--Ryan sorriu e acariciando-a disse:
-- Nosso amor é uma fonte inesgotável de força, amor e fascinação minha adorada gulosa...
A música preenchia o ambiente o desejo ocupava o corpo de Maria aconchegando ao corpo másculo do marido arrepiou-se quando ele provocando enfiou as mão por baixo da blusa acariciando-a primeiro os seios a barriga  as costas descendo até a curva dos quadris..
Já viviam juntos por mais de quinze anos, mas um simples toque a imobilizava  levando-a a mergulhar na atmosfera de pura sensualidade...
O relógio tocou o alarme era hora de desligar a torta  que assava no forno, esqueceu o sinal sem mesmo abri os olhos desligou o forno o jantar que esperasse...
Ao ouvir o suspiro de êxtase da mulher tomar conta do corpo sentiu que precisava mais uma vez saciar a volúpia que a consumia...
Sabia como deixa-la enlouquecida e ali era o momento para satisfazê-la.
Com os lábios entreabertos Maria procurava a boca sedenta do marido, o prazer a consumia os gestos os unia num só movimento...
Maria estremecia a cada toque quando suas roupas foram arrancadas deliciou-se se entregando ali mesmo na cozinha...
Em movimentos que a enlouquecia os corpos se encaixavam numa rotação perfeita e logo veio àquela melodia que nenhuma radia poderia tocar, eram sons e gemidos  que fluíam do mais intimo dos dois...
Saciados correram em direção ao banheiro depois de um relaxante banho Maria vestiu um suéter vermelho preferindo ficar apenas de calcinha, fez uma leve maquiagem, olhou-se no espelho e vibrou ao ver a bela expressão que ficava após fazer amor. Ryan ria, enquanto ele terminava de se barbear ela foi terminar o jantar.
Depois de uma bela refeição foram para a sala onde tomariam vinho em frente à lareira, a noite estava ficando fria..
O vinho a música aquele ambiente convidativo, Maria olhou a foto dos pais na parede.
Ele nos punia achando que éramos apaixonados demais e grudados.
-- Ryan disse carinhosamente nos perseguia achando que eu era o errado só não sabiam que era a filhinha que nunca se saciava...
-- Mas agora temos essa casa enorme e todo tempo só para nos amar...
Podemos fazer amor na mesa da cozinha no sofá, na banheira nesse macio tapete, disse insinuando-a, nunca ficarei saciada de você...
Ryan puxou o suéter deixando os seios rosados à amostra para serem explorados pela boca faminta... Venha minha gata gulosa vou te deixar saciada de desejos.
Ela sussurrou baixinho te quero agora... Hoje fizemos amor três vezes mas parece que faz meses essa fome me consome...
Ryan sabia como deixar arrepiada essa é a quarta e nem são nove da noite, o dia para amanhecer tem muitas horas ainda meu amor...
---Você é gostoso disse Maria mordiscando lhe o queixo num gesto erótico...
-- E de quem é a culpa sussurrou inclinando-se para morder a pele macia entre as coxas torneadas da esposa, você me provoca com suas roupas sensuais, seus gestos que me deixa louco esse teu corpo perfeito, ela rio e beijou de forma provocante... Dessa vez fizeram amor de forma mais tranquila diferente das outras explosivas onde ela sempre pedia para repetir duas três vezes.
 Precisamos dormir amanha é outro dia ela riu se aconchegou nos braços do marido e adormeceu...